As etapas para o desenvolvimento de um líder consciente e como sair do piloto automático que tanto limita o teu negócio.

Algumas das limitações que costumo ouvir dos meus clientes são:
  • “Quero que os colaboradores tomem iniciativa para assumir mais responsabilidades.”
  • “Preciso ter mais equilíbrio entre o esforço e o retorno tanto na vida pessoal como profissional. Parece que carrego o mundo às costas.”
  • “Sinto que preciso de mais clareza no meu projeto e onde quero chegar.”
  • “Tenho dificuldade na gestão do tempo e tarefas”.
  • “Como lidar com pessoas difíceis?”.
  • “Preciso sentir leveza ao definir a estratégia e na forma de a  transmitir à equipa.”

Se te identificaste com algumas destas questões, não te preocupes, não estás sozinho.

Vamos lá mergulhar no que podes começar a fazer já!

 

1 ª Etapa – Reconhecimento da posição e do momento 

A etapa de crescimento dentro de uma liderança requer uma base edificada e limpa. Quando passas por cima daquilo que precisa ser feito ou melhorado, não estás a deixar o problema, estás apenas a carregar mais peso nas tuas costas.

Mais cedo ou mais tarde, este problema vai voltar e vais precisar lidar com ele. Mais do qualquer colaborador dentro da tua equipa, tu como líder, precisas entender isso.

Quando decides saltar processos, inconscientemente estás a incentivar a tua equipa a fazer o mesmo, e isso causará sérios danos mais à frente.

Precisas ter um roteiro detalhado de onde estás e de onde precisas chegar. Esse roteiro deve ter objetivos e metas a serem alcançados.

É um processo que começa de dentro para fora. Ou seja, primeiro cresces, e aos poucos, a tua equipa também cresce contigo.

Para começar, tens que saber onde estás neste momento e onde desejas chegar. 

Essa visão precisa de ser clara. 𝐒𝐞𝐦 𝐜𝐥𝐚𝐫𝐞𝐳𝐚 𝐡𝐚́ 𝐝𝐞𝐬𝐩𝐞𝐫𝐝𝐢́𝐜𝐢𝐨 𝐝𝐞 𝐫𝐞𝐜𝐮𝐫𝐬𝐨𝐬. É como entrar num táxi e não dizer ao condutor onde queres ir. Ele andaria às voltas sem chegar a lado nenhum. Certo?

2ª Etapa – Trabalha com aquilo que tens e transforma o teu contexto

Assim que identificares onde estás, passas a entender que para sair dessa posição é preciso trabalho e dedicação. 

Não obstante, chegas à conclusão de que não podes continuar parado. 𝐄́ 𝐨 𝐦𝐨𝐯𝐢𝐦𝐞𝐧𝐭𝐨 𝐪𝐮𝐞 𝐟𝐚𝐳 𝐬𝐚𝐢𝐫 𝐝𝐚 t𝐮𝐚 𝐳𝐨𝐧𝐚 𝐝𝐞 𝐜𝐨𝐧𝐟𝐨𝐫𝐭𝐨.

A partir deste momento, não vais procurar ajuda em coisas que não estão ao teu alcance, mas sim, naquelas que estão. 

O piloto automático faz-nos acreditar que justamente o que não está ao nosso alcance é o que precisamos para avançar. E por isso, encontramos justificações, como por exemplo: “não tenho dinheiro o suficiente”, “preciso de fazer mais um curso” ou “não tenho a plataforma/sistema/recurso necessário”.

É preciso então, reunir ferramentas que permitam que chegues até onde determinaste que irias chegar. 

O problema, é que muitas vezes tens estas ferramentas à tua disposição, mas não sabes como utilizá-las, ou as utilizas de maneira inadequada.

O ser humano é tão inteligente, mas nem sempre usa a sua capacidade a seu favor. O que quer isso dizer? 

Quantas vezes desperdiças a tua inteligência em mexericos ou a navegar sem propósito nas redes sociais, escondendo-te de quem de facto és e do que precisa ser feito?

O teu medo e a tua dor não são os teus inimigos, muito pelo contrário, eles podem incentivar-te a chegar a um patamar maior.

Apenas precisas entender que o medo tenta fazer com que te mantenhas na zona de conforto, afinal, este é o modo como o teu inconsciente trabalha para que não sofras a dor da frustração.

Mas ao compreender que a frustração faz parte do processo de crescimento, a tua dor torna-se inferior e aumenta a tua capacidade de te tornares uma pessoa melhor.

O que é preciso então? 

Arriscar, pensar em grande, e assumir a responsabilidade! 

Já ouviste a frase: “pensar fora da caixa”?

A caixa representa o pensamento pequeno, a autopreservação, o medo, seguir os padrões e os paradigmas convencionais.

Obviamente que para que saias deste estado onde te encontras é preciso ousadia, ambição e paixão. 

Não te autossabotes implementando ferramentas que fazem com que permaneças no mesmo local sem nenhum resultado. Precisas mudar o curso da tua história!

 Ao invés de utilizar ferramentas que de facto te tornam mais confortável, precisas procurar algo que te faça conhecer mais sobre ti e os padrões que surgem ao longo da tua vida e carreira.

As ferramentas que te podem ajudar são muitas. Desde um coaching que te instruirá em várias áreas de tua vida, ou até mesmo a busca de um tratamento terapêutico.

Se precisas de ajuda, podes consultar o meu programa de Coaching Executivo de Liderança Consciente e agendar uma sessão de diagnóstico para obter mais clareza sobre este assunto. 

Outra forma é aproximares-te de pessoas que trabalham com um tipo de responsabilidade radical e não abrem preceitos para fraquezas. 

Estes são lugares que te vão impulsionar a chegar cada vez mais longe, dentro do plano que estabeleceste para uma liderança consciente.

3ª Etapa – Caminha no teu próprio espaço 

Caminhar no teu próprio espaço é ser autêntico, e não permitires que outras pessoas opinem sobre isso. 

O que existe de facto hoje, são pessoas que tentam manipular em todos os sentidos as suas vidas em benefício próprio, deixando-se também manipular pelo mesmo objetivo.

O que falta no mundo são pessoas e líderes autênticos, que se aceitam como são e incorporam o seu verdadeiro “eu”. Estes líderes sabem das suas falhas, sabem das suas qualidades e isso gera valor para as outras pessoas.

Quando te tornas esse tipo de pessoa, as outras vão querer estar por perto e seguir os teus passos.

Este é um caminho que requer bastante esforço, pois descobrires-te pode ser uma tarefa muito árdua, mas os resultados finais são libertadores.

Um líder consciente está em estado de permissão para ser ele próprio e para que a outra pessoa seja ela mesma. Ao mostrar como isso é possível, irás tornar-te num exemplo e inspiração para outros.

4ª Etapa – Não é o que fazes, mas como o fazes 

É inegável que quando escolhes tornar-te num líder, tornas-te uma figura pública e surgem alguns admiradores e pessoas que estão ao teu redor a olhar para os teus atos.

É por isso que precisas comprometer-te com o teu crescimento e cuidar  do teu interior, pois deixas de ser apenas uma pessoa, e tornas-te um estado de espírito.

Sim, pode ser uma afirmação um tanto quanto forte e que carrega consigo um alto senso de responsabilidade. Ser um líder consciente é isso, e não podes mudar, não podes voltar para a “tua carapaça” e esconder-te.

Compromete-te e assume a responsabilidade!

Cada vez que tens um crescimento, convida os teus seguidores a fazer o mesmo.

E sim, serás confrontado com as tuas incertezas e dúvidas, mas isso faz parte do processo para te tornar quem és, e aceitar isso será mais fácil do que lutar contra isso.

𝐎 𝐪𝐮𝐞 𝐞́ 𝐩𝐫𝐞𝐜𝐢𝐬𝐨 𝐩𝐚𝐫𝐚 𝐞𝐧𝐟𝐫𝐞𝐧𝐭𝐚𝐫 𝐚𝐬 𝐚𝐝𝐯𝐞𝐫𝐬𝐢𝐝𝐚𝐝𝐞𝐬 𝐜𝐨𝐦𝐮𝐧𝐬 𝐪𝐮𝐞 𝐜𝐚𝐝𝐚 𝐮𝐦 𝐝𝐞 𝐧𝐨́𝐬 𝐩𝐚𝐬𝐬𝐚𝐦𝐨𝐬 𝐝𝐮𝐫𝐚𝐧𝐭𝐞 𝐧𝐨𝐬𝐬𝐚𝐬 𝐯𝐢𝐝𝐚𝐬

  • 𝐂𝐨𝐧𝐟𝐢𝐚𝐧𝐜̧𝐚: Não importa o que acontecer, SABES que vai chegar onde queres.
  • 𝐂𝐨𝐧𝐯𝐢𝐜𝐜̧𝐚̃𝐨: Não importa o que as circunstâncias te digam, ACREDITA que és capaz de realizar tudo aquilo que sonhas para a tua vida.
  • 𝐏𝐫𝐨𝐩𝐨́𝐬𝐢𝐭𝐨Não importa o que a vida colocou à tua frente, neste momento, COMPROMETE-TE contigo mesmo e supera-te para chegar ao ponto que estabeleceste.

Assim, estarás no caminho certo para te tornares o líder consciente que tanto almejas ser.

Motiva-te e inspira-te. És capaz de chegar lá!

Brilha sempre!

👉 Se gostaste deste artigo, compartilha-o para espalhar mais consciência no mundo! 

Olá eu sou a Esther Liska,

Especialista em Liderança Consciente e Empreendedorismo Feminino. Atuo com treinamentos corporativos, mentorias e coaching executivo. Autora do livro “Brilhar com confiança” e criadora do programa WEL | Women´s Executive Leadership.

Recommended Posts